O que pode o Desporto ensinar à Escola?

"O grande objetivo da educação não é o conhecimento, mas a ação."
— Herbert Spencer

Os treinadores desempenham um papel muito significativo na sociedade europeia, estima-se que 9 milhões de treinadores, tanto a trabalhar como profissionais como voluntários, apoiam mais de 100 milhões de cidadãos europeus na concretização dos seus objetivos de participação desportiva.

Para pôr isto em perspetiva, há cerca de 6 milhões de professores, 1,6 milhões de médicos e 1,6 milhões de polícias na UE (Eurostat, 2019). Os treinadores constituem uma das maiores forças de trabalho da Europa.

 

Com todos os desafios atuais e mudanças necessárias na Educação, este momento é sem dúvida uma oportunidade para que o Sistema Educativo se reinvente e se adapte não só às novas tecnologias, mas a novas metodologias.

O Desporto é uma das mais apaixonantes e competitivas áreas da nossa sociedade, relembro que o exame semanal pelo que passam os desportistas e treinadores com inúmeros adeptos a assistir de forma intensa e com um impacto de motivar grupos e influenciar positivamente multidões, tem algo para ensinar à Educação.

 

 

A título de curiosidade partilho dois vídeos que procuram responder a duas questões.

Para que serve a escola?

https://www.youtube.com/watch?v=HndV87XpkWg

Como está a educação?

https://www.youtube.com/watch?v=dqTTojTija8

 

Novas tendências na educação vão ao encontro do que o desporto promove, a aquisição não apenas de conhecimento, mas de aptidões e desenvolvimento de competências.

Ainda que o conhecimento melhore a tomada de decisão, que é valiosa para a vida pessoal e profissional. Porém o desporto ensina lições de vida de uma forma única e memorável, fornecendo habilidades funcionais e interpessoais que serão úteis dentro e fora do campo.

 

Trabalho em equipa - Qualquer desporto de equipa enfatiza a equipa sobre o indivíduo, embora cada desporto incuta uma noção diferente de como as equipas trabalham e jogam em conjunto. Por exemplo, os jogadores de futebol são rotineiramente ensinados a submeter-se aos objetivos da equipa.

Disciplina - A disciplina é um requisito para o sucesso em qualquer campo, e o desporto em particular incuta o valor da disciplina nos jogadores desde o início das suas carreiras. A prática pode ser perfeita, mas ainda pode ser difícil para os atletas a todos os níveis sair da cama e chegar ao ginásio ou campo dia após dia para alcançar o desempenho máximo. O desporto é o campo raro da vida onde recebemos feedback imediato para as nossas ações: Se você tomar um tiro de uma determinada maneira e não tiver sucesso, você pode imediatamente ajustar a sua abordagem para melhorar.

Liderar e ser Liderado - No desporto como na vida, às vezes temos de liderar e às vezes temos de seguir. O desporto ajuda a desenvolver o discernimento para saber se está a agir como líder ou seguidor a qualquer momento. Liderança no desporto não é teórica. Acontece momento a momento, tal como acontece em ambientes não atléticos. Por isso, o tipo de liderança aprendida a jogar jogos servirá atletas ao longo da sua vida e carreira.

Resiliência - Os atletas e treinadores sabem da sua importância, a qualidade que permite que um jogador se mantenha focado e cave fundo mesmo quando pode estar fisicamente esgotado. Trata-se de fazer o que for preciso para ter sucesso, não importa o quão cansado nos sentimos.

Entre outras inúmeras competências defendidas como chave para o sucesso.

Todas desenvolvidas pelo desporto.

 

Como potencia o desporto os seus atletas e equipas?

 Procurando exemplos práticos no treino para a transferência na Educação:

 

 

Competição Grupal – Exercícios em que os atletas são constantemente a situações de competição em que o trabalho em equipa com diferente número de elementos e em diferentes responsabilidades e tarefas.

Cultura de Superação – Desenvolver uma postura de excelência e superação diária depende muito pouco de palavras ou até de exemplos, a estrutura dos exercícios que são colocados aos atletas obriga-os a superação, sob pena de serem preteridos, quer pelo treinador quer pelos seus pares.

Os melhores exercícios permitem que os atletas descubram respostas, sejam criativos, se divirtam e percebam a ligação entre o processo de aprendizagem e o a realidade.

 

 

Cooperação Hierarquizada – Novamente através da manipulação dos exercícios, é possível dar a liderança para que todos a experimentem, deixar que os líderes sejam eleitos ou surjam naturalmente com a tarefa, ou até o Treinador exercer a liderança permitir que todos entendam diferentes níveis de liderança.

Prática – Cada exercício, cada treino e cada jogo a que os atletas são expostos, tem que lidar com a vitoria e derrota, com as suas emoções, através da valorização da vitória e empenho pelo treinador. A importância de mostrar diariamente que o processo é o caminho, mas é no final do jogo que se atingem os objetivos.

 

"Educar não é encher uma panela, mas a acender de um incêndio."
— W.B. Yeats

 

Como fazem os treinadores?

 

Criam contextos de treino e aprendizagem em que os atletas exploram o jogo e o desenvolvimento das suas competências.

Mais do que textos e testes escritos, procuram a aplicação prática das competências com os conhecimentos, estimulam a curiosidade, através da resolução dos problemas

Não têm receio do insucesso ou derrota, mas sabem que são parte importante do crescimento, sabendo provocá-lo para ensinar as mais importantes lições.

 

"Mares suaves não fazem marinheiros hábeis."
— Provérbio africano

 

 

Talvez o que falte seja que todos os intervenientes na Educação sejam mais como os do desporto, os alunos como os atletas que querem aprender e superar-se diariamente, os professores como os treinadores que procuram diariamente novas metodologias e superar os seus pares de forma apaixonada, e os pais como os adeptos apoiando de forma apaixonada o seu “clube e adeptos” respeitando o conhecimento e experiencia dos docentes.

 Este é um momento de reflexão também para treinadores e jogadores, que ainda sabendo muitas das competências e estratégias referidas, as deixam para segundo plano com a tendência do ser humano para a preguiça e egoísmo.

Este é um momento para que os 9 milhões de treinadores da Europa mudem o mundo.

Comments

Share your thoughts!